Oficina de Dramaturgia. Cenografia e Música

Oficina de Dramaturgia, Cenografia e Música
Teatro Simbolista e Sua Potencialidade de Atualização

Período do curso:  21 de Janeiro a 11 de fevereiro
Dia: Sábados / Horário: 10h às 13h
Público Alvo: Atores, dramaturgos, literatos, músicos, cenógrafos, iluminadores, diretores, e interessados no recorte histórico.
Processo Seletivo: Carta de Interesse
Vagas: Máximo 20 pessoas a partir de 18 anos.

Oferecemos certificado ao término!

Ficha de inscrição no final página

O Curso

Ministrantes: Livia Loureiro. Paulo Raposo e Rogerio Guarapiran

 Pélleas e Melisande Pélleas e Melisande de Maeterlink, Rio de Janeiro, direção de Ziembinsk.

Pélleas e Melisande de Maeterlink. Direção de Ziembinsky. Cenografia de Tomás Santa Rosa. Rio de Janeiro

Analisar peças e conceitos do Teatro Simbolista Brasileiro e Europeu. Discutir as principais ferramentas de dramaturgia, os recursos cenográficos e os experimentos musicais que deram forma a esse teatro. Promover um experimento de atualização desses procedimentos, gerando uma amostra de cenas ou uma peça curta a ser apresentada no final da oficina.

Metodologia

  1. Dramaturgia (1 encontro):
    Contextualização histórica do final do século XIX e início do século XX. Análise textual das peças Pelleas et Melisand de Maurice Maeterlinck e Casa Fechada de Roberto Gomes.
  1. Cenografia (1 encontro):
    Apresentação dos cenógrafos Appia, Gordon Craig e Tomás Santa Rosa e análise de espaços cênicos de suas montagens.
  1. Música ( 1 encontro):
    Apreciação e análise dos aspectos musicais das obras de Debussy, Schoemberg e Villa-Lobos.
  1. Leitura dramática dirigida pelos ministrantes unindo os conceitos trabalhados nas aulas teóricas para apresentação ao público externo e avaliação da potencialidade (1 encontro).

Investimento
300,00 – à vista.
2 x 175,00 – cartão de crédito.

FICHA DE INSCRIÇÃO

Todos os campos são de preenchimento obrigatório. Preencha com atenção o seu e-mail para que possa receber a confirmação da inscrição.
Nome

E-mail

Data de Nascimento

Endereço

Cidade

CEP

Telefone

Carta de Interesse
Descreva aqui o que te motiva a fazer o curso:

Como ficou sabendo do curso?

Ministrantes: Livia Loureiro. Paulo Raposo e Rogerio Guarapiran

Lívia Loureiro
É cenógrafa e professora. Desenvolve pesquisa sobre as formas de concepção do espaço cênico, suas relações com o espaço arquitetônico e com as artes visuais. Mestra em artes visuais pela UNICAMP (2012) desenvolveu a pesquisa “Flávio Império: desenho de um percurso”, sobre o processo de criação do artista que atuou em diversos campos da expressão artística.

Paulo Raposo
Possui mestrado em Composição Musical pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (2012), graduação em Bacharelado pela Faculdade Santa Cecília (2003) e Especialização em Composição Musical pela Faculdade de Música Carlos Gomes (2005). Atuou como docente no ensino superior na Faculdade de Música Carlos Gomes, lecionando as disciplinas Harmonia e Análise Musical. De 2011 até a presente data atua como docente no curso de Licenciatura em Música da Faculdade Carlos Gomes.

Rogério Guarapiran
Dramaturgo colaborador da Cia. Antropofágica. Desenvolve pesquisa em escrita experimental, trabalhou em diversos grupos teatrais da capital e interior de São Paulo. Em 2015 desenvolveu o projeto O Peregrino contemplado pelo PROAC de dramaturgia. Estuda música popular na EMESP e atua como músico bandolinista em regionais de Choro. Tem graduação em Linguística pela UNICAMP.

 

Inscrições abertas – Cursos 2º Semestre

Inscrições Abertas – Cursos 2º Semestre SP

Estão abertas as inscrições para os cursos do 2º Semestre na Oficina MetaCultural!

A Oficina MetaCultural é o local ideal para quem está iniciando, para quem já é artista e quer se reciclar, adquirir novos conhecimentos, desenvolver habilidades, trocar experiência e compartilhar vivências. Nossa equipe conta com excelentes profissionais com forte atuação no mercado artístico. Os cursos possuem excelente carga-horária e valores, comparado com os demais espaços em SP.

Clique no link abaixo para mais informações sobre o curso, horários e currículo dos profissionais:

Transparentes no que fazemos, em nosso site é possível acompanhar a nossa trajetória, currículo dos profissionais e produções artísticas.

Somos uma Oficina Livre e não uma escola, o que nos dá a liberdade de trabalhar com o potencial artístico de cada profissional, tornando-o além de professor, um pesquisador em sua linguagem. Os maiores beneficiados são os estudantes que durante e ao término dos cursos apresentam o resultado de suas pesquisas para o público em geral.

Localizada na Rua Treze de Maio, 120 – Próximo as principais avenidas de São Paulo, Consolação, Nove de Julho e Rua Augusta.
Além dos cursos, são realizados semanalmente eventos artísticos sempre com entrada gratuita ao público e possui também um delicioso e acolhedor café/bar, para reunir os amigos!

Em nossa página no facebook, você pode acompanhar nossas postagens diárias, imagem das aulas, publicações sobre o nosso blog, programação cultural, editais, curiosidades e matérias. Curta você também – clique aqui!

A Oficina recebe constantemente propostas para novas parcerias artísticas, envie-nos o seu projeto para: coordenacao@oficinametacultural.com.br

Contatos – (11) 4113-6616 – contato@oficinametacultural.com.br

Clique aqui e faça já a sua inscrição!

Seminário sobre os índios brasileiros

No último sábado 10/10 realizamos o último seminário de pesquisa para o nosso espetáculo e fechamos com chave de ouro: O ÍNDIO!
Cada espaço da Oficina foi adaptado para abordar os elementos: terra, fogo, água e ar. Em transição pelos espaços, proporcionamos uma vivência única aos nossos estudantes, abordando questões culturais, étnicas, espirituais e políticas.

Ao término da vivência, após as pinturas corporais e o ritual do cachimbo (ar), fica explícito o quanto nós “homens urbanos” perdemos diariamente o vínculo com a natureza e passamos a  viver numa sociedade irresponsável, egoísta e alienada, principalmente quanto as questões ambientais. É inaceitável, nos tempos de hoje, o descaso dos órgãos públicos que não cumprem as leis criadas em defesa aos índios e ainda compactuam com genocídio indígena para favorecer latifundiários.

É realmente muito intrigante numa cidade como São Paulo, que sofre hoje sua maior crise hídrica da história, saber que seus rios como o – Saracura (Av. 09 de Julho), Bixiga, Itororó (Av. 23 de Maio), Anhangabaú, Tamanduateí, e tantos outros estão cobertos há mais de 100 anos por avenidas, que se tornaram obstáculos para o desenvolvimento urbano, ou seja, tudo pelo progresso – progresso?

“Todos os índios querem voltar no tekohá (local sagrado) onde nasceu.
Os antepassados querem que a gente vá pra lá, andar em cima da nossa aldeia”, explica o cacique guarani Elpidio Pires.
“Os guarani têm a concepção de que são a primeira semente plantada na terra”, afirma o antropólogo Rubem Almeida, que estuda esse povo há décadas.
E isso explica a relação deles com seu território. “É como com as plantas. Se uma planta nasce em certo lugar, é dali. Os guarani entendem que
pertencem a uma determinada terra – e não que a terra pertence a eles”, diz.

Agradecemos a todos os estudantes da Oficina e em especial ao professor Rodrigo Eloi Leão do Norte por compartilhar sua experiência sobre o Xamanismo e realizar o ritual do Cachimbo.
Realizadores do Seminário: professores Thais AguiarPaulo Gianini.

Curta a nossa página no Facebook!

Compartilhamos com todos vocês alguns links e vídeos utilizados na vivência:

Links:

Quadro Geral dos Povos

Povos Indígenas

Solidariedade aos Guaranis

Vídeos:

 

 

 

 

Brasil – O Mito Fundador

 

Trecho de uma das cenas do nosso espetáculo:
Escravo 1 – Eu tenho família e eles precisam de mim. Preciso voltar!
Escravo 3 – Fiquem quietos!
Escravo 2 – Me diga pelo menos onde estamos? Que país é esse?
Escravo 1 – Por que ninguém faz nada?
Escravo 3 –  Você quer morrer? Ninguém quer saber de onde viemos, se temos família, se somos alguém de valor. A única diferença que existe aqui é essa (mostra a pele).

cores

Atores – Saulo Brandão, Juliana Santos e Roberta Magalhães / Foto: Paulo Gianini

Depois de um longo processo de adaptação na nova sede, estamos de volta! Agora mais experientes, mais fortes e com um único objetivo – entender o Brasil e revelar as histórias que nos foram omitidas desde a “descoberta”.

Para além de “passar a mensagem” sobre o preconceito, a discriminação, a desigualdade, etc., vale ressaltar que nosso interesse é destrinchar os fatos históricos que nos foram omitidos, deturpados e – ainda hoje – velados. Entender o ser humano em sua essência e sua relação com o poder. A herança religiosa que nos foi imposta. Os valores de uma sociedade educada sob o medo e a opressão. Que possamos trazer de volta a discussão aos palcos e criar novas formas para se encarar os fatos, elevando o discurso e deixando de lado “birras” partidárias.

Para entender o mito fundador, estamos trabalhando nas seguintes frentes de pesquisa: o  negro, o índio, o sertanista e a mulher e como tudo isso se encaixa nos tempos atuais – o contemporâneo.
Convidamos também pessoas interessadas em fazer parte desse processo de montagem (pesquisa, ensaios e processo de produção), artistas em geral, pesquisadores e professores. Para saber mais sobre local e horário de ensaio, basta nos contatar através do e-mail: contato@oficinametacultural.com.br
Com previsão de estréia para fevereiro de 2016, iniciamos o processo de produção e estamos abertos a novas parcerias.

Até!
Thais Aguiar.

Curso de Teatro Adolescentes

Curso de Teatro Adolescentes

Inscrições até 24/06 ou até durarem as vagas! 

Curso de Teatro – Adolescentes

Período do curso: 
Curso tem a duração de 06 meses e vai até o dia 15 de dezembro.
Início imediato!
Dia: Quinta-feira
Horário: 15h às 18h
Público Alvo:  Interessados em geral. Não é necessário ter experiência.
Faixa etária: De 12 a 18 anos
Vagas: 20

Processo Seletivo:
Carta de Interesse (on-line – ficha de inscrição)
Os candidatos aprovados, receberão confirmação via e-mail.

Não cobramos taxa de inscrição, matrícula ou mensalidade

Manutenção do espaço
Valor: R$ 25,00 por mês

Oferecemos certificado ao término

 FICHA DE INSCRIÇÃO Clique Aqui!

Apresentação e Objetivo dos Cursos

Professora: Thais Aguiar

Espetáculo - Bailei Na Curva (Adolescentes)

Curso de Teatro Adolescentes

O curso tem como principal objetivo trabalhar o desenvolvimento da criatividade, percepção, comunicação e interação dos sentidos para a vivência teatral.

Ampliar o repertório, seja ele em ações físicas ou psíquicas, através de exercícios que trabalham a autoconfiança, auto-estima, o ritmo, o equilíbrio, coordenação motora, o reflexo e a concentração.

Desenvolvimento de técnicas de interpretação e experimentações que envolvem o fazer teatral. Utilização de ferramentas para a criação e construção de um personagem ou uma cena. Aprimoramento da função simbólica, como forma de codificar a ideia se apropriando do poder de abstração.

Estimular a cultura de equipe para que cada indivíduo tenha a percepção de sua importância e responsabilidade no processo de montagem.
Realizar leituras dramáticas e estudos/pesquisas de linguagens cênicas sobre do texto a ser montado, seja ele criado em processo colaborativo ou de uma autor/dramaturgo já existente.

As aulas são 80% práticas e 20% teóricas. O ambiente das aulas pode variar de locais como ao ar livre, que serve como facilitador para o desenvolvimento dos sentidos, percepção e manifestações culturais.

Conteúdo

  • Exercícios de Improvisação Individual e Coletivo
  • Técnicas de Interpretação
  • Técnicas de Expressão Corporal e Vocal
  • O Ator e o Personagem
  • O Texto e a Cena
  • Leitura Dramática
  • Introdução a Mitologia Grega
  • Estudos de textos dramatúrgicos e literários
  • Criação e Construção de Figurino
  • Práticas de Produção Teatral
  • Ensaios
  • Apresentação Cênica

Currículo

Thais

Thais Aguiar

Trabalhos recentes –  No cinema, participou como atriz no longa metragem O Animal Cordial, direção de Gabriela Amaral Almeida (estréia prevista par a 2016). Apart-Horta, direção de Cecilia Engels filme de ficção/comédia para televisão. O projeto é ganhador do concurso de roteiro filma Brasil 2013. Rodado em 2014. No teatro integrou recentemente a Cia Clandestina como diretora. Trabalhos recentes no teatro: Homem não Entra, Cine-Camaleão Borboleta Azul, texto e direção Paulo Faria, da Cia Pessoal do Faroeste. 3 Casas, de Alfredo Mesquista sob a direção de Calixto de Inhamus, Gabriela Rabelo Saiba mais

Desenvolver o trabalho em equipe e individual para a montagem teatral, valorizando a importância e função de cada indivíduo no ato da apresentação.