Mariza Junqueira – Teatro Iniciação

931390_10201154099351700_217764463_n

É atriz, diretora e educadora de teatro. Possui Bacharelado em Artes Cênicas pela Universidade Estadual de Campinas – UNICAMP (2005).

Parceira da Cia Pessoal do Faroeste, grupo contemplado com o Prêmio Shell 2015 na categoria Inovação pelo trabalho de intervenção na região da Luz na capital paulista. Com esse coletivo, atuou no musical Luz Negra, (2014-2016) integrou o Ciclo de Olhares Luz e Sombra em parceria com o SESC Bom Retiro (2013), atuou no espetáculo Homem Não Entra (2013) e no Projeto Trilogia Degenerada (2010), contemplado com a Lei de Fomento ao Teatro para a Cidade de São Paulo, todos dirigidos por Paulo Faria. Atuou no espetáculo Poema Suspenso para uma Cidade em Queda, da Cia Mungunzá, com direção de Luis Fernando Marques, no Sesc Santo Amaro (2015).

Com o Grupo XIX de Teatro, atuou nos espetáculos: Hysteria, Hygiene e Nada Aconteceu Tudo acontece Tudo está acontecendo (2013-2015), dirigidos por Luiz Fernando Marques. Estrada do Sul (2013), dirigido por Pietro Floridia da Cia Teatro Dell’ Argine – Itália, e Marcha para Zenturo (2013-2014), de Grace Passô, em parceria com o grupo e Espanca! – MG.

Diretora do espetáculo Acusação a uma atriz, da MiniCia Teatro, selecionado para o XXI FENTEPP (2014) . Como integrante desta companhia, atuou nos espetáculos Anoiteceres (2010-2011), com direção do grupo. Melhor não Incomodá-la (2008-2010) e Abaixo das Canelas (2006-2008), ambos dirigidos por Giuliano Tierno e Seis Personagens a Procura de um Ator (2004-2005), com direção de Marcelo Lazzaratto e Verônica Fabrini.

Integrou o espetáculo A Última Quimera (2007), adaptação do romance de Ana Miranda, orientado por Georgette Fadel e Verônica Fabrini. Também o espetáculo Chalaça, a peça (2007), com direção de Marcio Aurélio, ambos junto à Cia. Lês Commediens Tropicales.

Trabalha como assistente de direção, produtora e preparadora de elenco para cinema. Em 2014 integrou o projeto Quito, curta-metragem dirigido por Rui Calvo, contemplado com o PROAC Manifestações Culturais LGBT, selecionado para festivais nacionais e internacionais como o Festival Internacional de Curtas de SP.

Como educadora de teatro ministrou oficinas teatrais para crianças e jovens da zona sul da capital paulista entre os anos de 2011-2014, através da ONG Ação Comunitária. Atualmente é professora de teatro do Colégio Santa Clara, localizado na zona oeste de São Paulo.

Posted in Uncategorized.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.